Menu Fechar

quem escreve neste blog? e o que vai mudar brevemente?

Olá, quem sou eu?

Entendo as pessoas que me questionam quanto à minha pessoa. Mas como mencionei neste blog quero ter algum anonimato até para conseguir ser o mais sincera possível nos artigos que faço. Especialmente os relacionados com cancro da mama.

Mas reconheço ser algo estranho estar a falar com alguém que nem indica o seu nome. Daí a ter criado o meu nome para este blog…Lara

Lara é um nome que sempre gostei e diz-me algo na minha vida. E depois vi algo, estando relacionada com palavras como vitoriosa, mudança. E é o que eu acredito neste projeto pessoal.

Razão de não estar a escrever

A principal razão é o facto de o tempo estar a voar.

Eu nunca escrevi tanto na minha vida. De facto, a escrita está a ser uma ferramenta essencial nesta altura da minha vida.

Estou a compreender que afinal os meus pensamentos não são assim tão aleatórios. E que até me podem ajudar a ser mais produtiva. Eu que com a quantidade de pensamentos tinha a tendência para estagnar…

Todavia, não posso colocar as coisas assim cruas no blog. Até porque cada pessoa vai ao blog em diferentes momentos. E eu não quero ser mais uma experiência que indica apenas que o pior do cancro é mesmo depois dos tratamentos.

Na minha opinião, acabamos por “aceitar” que o período dos tratamentos oncológicos será tramado, sendo de facto verdadeiramente tramado.

Depois do cancro negação 

Mas, depois, há ideias formadas, preconceitos, pressões para que a vida regresse ao normal o mais rápido possível. Sendo tal impossível.

Então há um processo de negação. E eu passei por ele.

Acredito que agora começo a entrar no processo de aceitação do depois do cancro. Mas quero falar nestas questões quando já tiver mais ideias práticas, mais dicas que considero que possam ser úteis.

Isto é, este blog é um diário de uma jornada, mas um diário algo pensado, no sentido de tentar ajudar por quem está a passar pelo cancro. E não apenas os meus desabafos (que são importantes para mim), mas que para tal tenho os meus cadernos.

blog um trabalho

Eu poderia optar por passar as minhas dicas através de um twitter ou uma outra rede social.

E assim não teria de ter todo o cuidado que um blog necessita (comprar e agora renovar hosting, domínio, produzir conteúdos relevantes e recentes porque se não o google penaliza-nos logo na semana seguinte). 

E claro que quero obter resultados com todo este meu esforço.

  • Quero saber que alguém os leu e gostou ou não gostou.
  • Ou indica mais uma dica.
  • Ou agradece porque é a primeira pessoa a passar por cancro na sua família e nem consegue falar sobre determinadas emoções pois tem receio que a julguem como estar a ser “uma exagerada”. 

Porque foi o que me aconteceu, fui a primeira a passar por menopausa e quimioterapia ao mesmo tempo, e depois também radioterapia e menopausa e….tantas mas tantas coisas que sei que as pessoas querem saber.

Falta de tempo

Mas se isto é um hobbie, é algo que consome muito tempo. E agora que comecei a procurar emprego (que também vai dar para uns artigos interessantes) está a ser mais complicado. 

Mas novamente não quero tornar este blog  meu queixume público.

Quero ser algo objetiva em que deparei-me com esta questão e andei às voltas e consegui encontrar determinada solução. Será que essa solução também ajudará mais alguém? Não ajudará certamente toda a gente, mas a algumas sim, e é isso que quero fazer. Para a que experimentarem essa solução não terem que perder o tempo e, o mais importante, energia, com porcarias.

O que perdi com o cancro?

Paciência…Não estou nada mais calma depois deste acontecimento.

Encontrei uma tranquilidade em mim, em alguns sítios, nas minhas relações mais fortes.

Mas no quotidiano perdi a paciência para problemas sem sentido.

E sei que vou fugir do assunto principal (cancro da mama) mas sei que há um todo mundo lá fora. 

Tempo recurso limitado 

E se alguém só visitou o meu blog porque não sabia que poderia tirar senha online para ir renovar o cartão de cidadão ou o passaporte eu fico na mesma super entusiasmada.

Porquê?

Porque acho que se todos nos ajudarmos um pouquinho vamos todos ganhar mais com isso (alguém que em vez de estar a perder um dia para as finanças e nada tratado, e depois outro dia, e depois falta o requerimento xwy e não o xyw….). Já estou a dinamizar algo. Já valeu o esforço. 

Mas na minha família indicam-me que sempre foi assim e sempre será. Mas hoje há oportunidades de divulgar soluções.

Como por exemplo, há serviços públicos (finanças, segurança social, IRN) que pode tirar a senha online a partir de qualquer lugar. E assim, decidir se até tira senha ao que é mais perto da sua residência, ou do seu trabalho, ou ir a outro local que é só andar mais 2km e não tem quase lá ninguém….

Ou então em vez de ir perder imenso tempo para o seu centro de saúde para marcar uma consulta conseguir marcar online, a qualquer hora, e até ver com cuidado os melhores dias para si. 

E assim essa pessoa no entretanto do tempo pode estar a produzir, pode estar a descansar, pode estar a utilizar o seu tempo como quiser. 

Trabalho independente

E de facto este tipo de experiências está a ser o meu quotidiano.

E eu estava a perder a paciência e estava-me a tornar em algo que não queria.

Até que ponderei que dado o blog já ter uma visibilidade significativa (nunca julgava que chegaria aos números que está a chegar, por isso muito obrigada a todos), constatei que poderia tirar proveito destas chatices todas escrevendo, até mesmo para mim no futuro.

E que chatices?

Mil e um problemas com Vodafone, ou com MEO. Ou com seguros. Ou com compras online. Ou com a sixthcontinent, em que não estou a conseguir descarregar ou utilizar vouchers… Ou com transportadoras.

Um dos casos mais recentes: optei por uma encomenda DHL Express, custo mais elevado, logo consideramos serviço premium, e de facto o tempo de entrega foi muito mais reduzido.

Mas no dia da entrega tinha uma consulta, e queria dar esta indicação ao estafeta, de não estar em casa de manhã, apenas a partir das 14h e…não foi possível.

Porque, supostamente, o apoio a clientes não conhece a rota do estafeta….

Então numa próxima situação ponderarei se vale a pena ou não o custo adicional.

Ou se posso optar por uma outra transportadora que já me facilitou a vida, como a SEUR, que agora parece ter-se fundido com a Chronopost e ser Grupo DPD. 

Flexibilidade

Hoje em dia penso existir uma ideia ilusória de flexibilidade.

Não pode fazer isto, não se preocupe, nós tratamentos disso por si.

Mas depois vivenciamos as situações e muito raramente são assim tão fáceis, tão práticas… [Não quero só falar dos casos negativos, quero ressalvar os casos positivos].  

E acho que isto não é mais abordado pois queremos resolver o caso em particular e esquecer. Mas passado um tempo estamos a lidar com algo semelhante. E volto a mencionar….perdi completamente a paciência para patetices.

Então para não ser só aquela pessoa que reclama em público mas depois a estrutura lá vai sobrevivendo [muitas vezes com os próprios colaboradores a compreenderem a nossa posição como clientes]. Quero tornar as coisas um pouco mais públicas. 

E flexibilidade laboral? Isso existe? 

E esta flexibilidade é por vezes transportada para o trabalho. Vai a uma consulta desde que leve a declaração não há qualquer problema. Mas não é assim.

Eu só tive acompanhamento nos exames mesmo necessários, e nas sessões de quimioterapia.

Já nas restantes, que foram a maioria quando quer o meu namorado, a minha mãe ou pai perguntavam “olhe para a semana a Lara vai fazer um exame complicado poderei ir com ela [levando a declaração claro]? foram mais as vezes que os chefes torceram o nariz do que “opah, vai à vontade e espero que corra pelo melhor”.

C card ou carta cancro

Sim, existe uma ideia que agora dizemos que estamos a passar ou passamos por cancro e as coisas nos são imediatamente facilitadas. E, não.

O cancro é já algo comum que muitas vezes visto como quase uma gripe. Mas que eu saiba a gripe não demora 1 ano a ser tratada. Não nos deixa assim com tantas sequelas. Nem nos lixa tanto a vida…

E depois há sempre as comparações….”Ah, mas a Ana teve e agora trabalha super bem e até estar a fazer horas extra para compensar!”. Oi? A sério? Então vamos lá falar com a Ana sff. 

Eu sinto, e já questionei muita gente sobre isto e sentem-se mais prejudicadas no dia a dia por dizerem ter ou terem tido cancro do que serem beneficiadas.

Então, agora, no depois do cancro praticamente vou sozinha a todos os exames e consultas.

Mas que são muitas ainda. No primeiro ano depois do fim de tratamentos tenho ido todos, mas todos os meses ao hospital. Algumas vezes só de manhã, outras de tarde, outras quase dia todo. E dois dias passados tenho que regressar. E na semana seguinte… [cronograma está a ser feito]

Claro que depois há períodos mais calmos. Mas há dias bastante intensos e temos que estar preparados para eles. Aceitarmos aquela situação, pois se negarmos a nossa vida naquele momento, só vamos perder energia vital. E aceitar que a nossa vida será, novamente, gerida pelo horário que nos indicam no hospital….

Cancro e emprego

As situações que conheço de cancro tiveram algum tempo de baixa.

Uma delas, sendo funcionária pública, teve a oportunidade de estar 3 anos com subsidio de doença. E concordo, pois de facto há um tempo de recuperação depois dos tratamentos do cancro. Relembrar que só os próprios tratamentos do cancro da mama demoram cerca de 1 ano. 

Já outras regressaram ao seu posto de trabalho anterior ao cancro, tendo passado alguns desafios como lidar com as constantes idas ao hospital e como a entidade compreende isso.

Uma decidiu mesmo procurar uma outra oportunidade de emprego, em que só trabalha 6 horas e assim consegue gerir melhor esta situação. Mas tal teve consequências no seu rendimento, além de que lhe foi super desgastante procurar um novo emprego quando gostava do seu, mas como não eram compreensivos com a sua situação, teve que mudar. 

E, infelizmente isto não se trata apenas com cancro. Trata-se com outras doenças crônicas. Com situações de pais recentes…

Cancro e procura de emprego

Dizem que há 3 D´s que mexem com a vida de uma pessoa: desempregodoençadivórcio

Eu, infelizmente, passei por vários estágios (gostamos muito de ti mas venha lá outro estagiário…) mas tentava encarar como oportunidades não ver só como problema (exceto instabilidade profissional e financeira) pois com o currículo que fui construindo tinha alguma facilidade em arranjar emprego

Mas o mesmo não posso dizer agora…São muitas as pessoas que me recomendam não indicar a minha situação numa entrevista e depois no acordo profissional. Mas não considero correto.

Não tenho que dizer que tive cancro, porém acho justo dizer que necessito de flexibilidade pois tenho outros compromissos e que por tal se tiver que faltar uma manhã, compensarei trabalhando até mais tarde ou a partir de casa.

E até agora as respostas não foram muito positivas. Mas também aqui tento pensar “ah, espera que isto é conteúdo para o blog”.

Negócio próprio

Assim, neste momento estou no meio da ponte, mas um nadinha mais inclinada para trabalho independente. (Mas o verdadeiro trabalho independente, em que eu possa definir o meu horário profissional).

No entanto, se isto é já um desafio, numa altura em que o meu tempo ainda é passado à volta do cancro e que a energia ainda não é a melhor o desafio parece um pouco mais complicado. Mas ainda acredito.

Então lá comecei a ter umas ideias e tentar umas coisas…e eu só consigo arranjar conteúdo para o blog, infelizmente.

Começamos a ver alguns investimentos, e só aí deparamo-nos com imensos e imensos senões. E coisas tão simples como necessitamos de um produto, lá fora está a metade do preço e agora tudo, mas tudo pará na alfandega….

“Mas isso porque vais à China, e olha que não estás a promover a economia europeia…” Não. Lojas que indicam pertencerem à Europa e afinal não. E, infelizmente, são tantos exemplos. 

E depois fico algo revoltada e a querer expor cada situação. Em primeiro, para outras pessoas não serem enganadas, em segundo, para dificultar a vida a quem está a tentar enganar a dos outros

Daí a ponderar criar uma categoria relacionado com reclamações…ou algo do gênero. 

Pode a minha ideia não ser a correta, mas estes assuntos são abordados mais em forúns, sem estrutura, nem ideia cronológica. E acho que ninguém antes de fazer uma compra quer fazer um mini-curso para realizar uma compra.

Artigos do blog 

Assim, os assuntos neste blog poderão ser algo variados e até não ter assim uma estrutura.

Mas sinceramente se me já está a ser muito difícil manter um blog. É-me impossível criar agora um outro blog só para escrever informação útil

Blog cancro da mama ou informação útil 

Todavia, brevemente, farei uma mudança para que este blog seja um pouco mais organizado neste sentido

Bem como, poderei de vez em quando estar mais desaparecida deste projeto. Ou então, de um momento para o outro divulgar dois ou três artigos pois significa que tentei aproveitar uma das muitas noites de insônia. 

[Noites de insônia? Uma rapariga de 30 anos? Então não te sentes cansada? Sim, o cansaço está cá, mas já o descanso é difícil de apanha-lo. E isto está algo relacionado com menopausa…]

Cansaço depois da quimioterapia….não é cansaço é mesmo nenhuma mas nenhuma energia…E é a pensar neste assunto, como em outros que sei que estou a fazer bem e que o meu esforço e as minhas muitas horas investidas neste projeto estão a ser recompensadoras, pois estou a conseguir ajudar pessoas que julgam que estão a passar por algo sozinhas. Quando não é assim, apenas o médico não lhes indica tudo o que vai acontecer, as outras pessoas passam e depois tentam esquecer, e há assuntos pertinentes que não abordados

E sei que já disse isto no blog, mas quero reforçar…. O cancro já é difícil. Tal como outras doenças, tal como tantos acontecimentos da vida. E se for possível simplificar o quotidiano, tal é de todo importante nas nossas vidas. 

Blog como negócio 

Porque não utilizas o blog como negócio? São muitas as pessoas que me recomendam apostar neste blog como negócio. Eu vejo potencial. Mas já ver os resultados é mais difícil

Como muitos blogues portugueses indicam e que levam este projeto como trabalho quer as pessoas, quer as empresas não vem como um parceiro de negócios, o que é uma pena. 

Mas não vou desistir. Mas sei que para este projeto ser algo que me permita auferir um salário mínimo vai levar muito mas muito tempo. E até lá as minhas despesas continuam a ter que ser pagas nas devidas alturas…

Então quanto ganhaste até agora com o blog? Nada, exceto conversas enriquecedoras. E quanto já gastaste? O hosting e domínio o ano passado. E a renovação para este ano. Em que tudo junto já chegou a umas boas dezenas de euros. 

Fim do blog à vista?

Então, andas praticamente a gastar tanto do teu tempo, que agora é limitadoGastas dinheiro e ainda não recuperaste nenhum e vais continuar? És doida? Quem me conhece bem sabe que o sou.

Mas sim vou tentar continuar com este projeto. Só o ponho mesmo em causa se encontrar um emprego e que depois praticamente não tenha tempo para respirar.

Satisfação pessoal 

Mas qual é a minha motivação? Adorava dizer que estou a ganhar dinheiro com algo que gosto e que devo estar a fazer bem [não era desta área, logo a criação de um site, conhecimentos SEO vão sendo aprendidos por formações]. 

Porém, no mês de setembro foram mais de 5000 os utilizadores ativos e o blog continua a crescer de semana para semana de modo sustentável. 

Mas de vez em quando recebo emails [engraçado as pessoas preferirem para situações mais intimistas o email do que comentários] afirmações realmente motivadoras para mim.

  • Um email de alguém que estava a “passar-se” por julgar que só a ela que está agora mais cansada do que no inicio da luta contra o cancro.
  • Ou que nunca pensou que a menopausa induzida fosse tão agressiva. Ou que pudêssemos engravidar mesmo estando em menopausa.
  • Ou que não sabia como o esvaziamento axilar é complicadíssimo, e ficou mais animada por saber dos exercícios e que com [muita] paciência as coisas ficam mais fáceis de lidar…

E ok, tenho a noção que daqui a pouco até pode sair um site todo xpto com informação do cancro, pago por um magnata qualquer que considera agora o cancro uma nova mina de ouro. Mas eu tenho algo que os técnicos que são pagos para escrever muitas vezes não tem. Passei pelas coisas e escrevia-as.

senti na pele estas tretas e sei o quanto foi difícil descobrir uma solução ou aprender a lidar com algo.

Daí o meu anonimato para conseguir expor as minhas emoções do modo mais sincero que conseguir. 

Cancro comunidade 

Por tal, perguntam-me para quando uma comunidade feita a partir deste blog, mas tal não acontecerá. Pelo menos não presencialmente.

Até porque, acho que depois é de todo positivo também termos todo o tipo de conversas sem estarem relacionadas com o cancro. 

No entanto, e como falar do cancro é importante. E quem lê os meus artigos tem certamente muito a acrescentar quer em dúvidas, quer em respostas, estou a tentar criar um forúm neste site

Mas que vou continuar a tentar criar parcerias com profissionais e empresas vou. Seria um win-win. 

Como te posso ajudar?

E é aqui que vocês podem ajudar-me. Conhecem alguma empresa que poderia querer fazer parceria comigo? Tem ideias? Se gostam do meu trabalho divulguem e estejam à vontade para comentarem ou enviarem o que considerarem pertinente. 

conclusão | história do blog

  • fiz este artigo pois quero explicar aos meus leitores que apesar de este projeto não me ter dado qualquer rendimento levo-o muito a sério, e isso às vezes faz com que demore um pouco mais a publicar um artigo
  • isto porque não posso dizer coisas estúpidas sobre depois do cancro se alguém que está a passar pelos tratamentos também o pode ler, quando publico gosto de tentar ver a imagem toda e não concentrar-me apenas naquele ponto, e mesmo depois vou alterando cada artigo 
  • além de que estou a tentar abordar os assuntos quando já tenho algo de positivo a acrescentar, dicas a partilhar 
  • assim como, há outros assuntos que andam a incomodar a minha vida e que acredito que chateiem a de outros e por tal a estrutura do blog pode mudar brevemente, e ser mais relacionado com cancro da mama mas também informação útil para o quotidiano 
  • ou ainda alguns elementos novos mas já muito queridos como a criação de forúm
  • desejem-me tempo e energia =) 

Beijinhos

Lara | maisumahistoria.pt

Posted in cancro da mama, dia a dia

4 Comments

  1. Andreia Teixeira

    Energia!!
    E força para continuares a dar o teu melhor para benefício dos outros!
    Ajudaste-me imenso!
    Gosto muito de Ti!
    Beijinhos

    • maisumahistoria

      Olá Andreia,
      Muito mas muito obrigada =)
      És uma querida e uma guerreira.
      Força =)

  2. Ana Maria

    Gostei do nome.
    Mas não tanto quanto gosto de ti.
    Nem imaginava que uma pessoa que não conheço me pudesse ser tão importante numa fase tão difícil como esta.
    Obrigada por tudo, tudinho.
    Beijinhos

    • maisumahistoria

      Obrigada Ana,
      Como falamos, há sempre uma questão por responder 🙂
      Força

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.