Menu Fechar

Cancro da mama em jovens

Ouvimos com alguma regularidade que este é o cancro que atinge mais mulheres. Enquanto que o cancro da próstata é o que atinge mais homens. Curiosamente, e porque ambos podem ser hormonais há alguns pontos em comum (os que tem tido uma maior taxa de sucesso, possibilidade da utilização da hormonoterapia; entre outros).

cancro da mama Idade fator de risco

A idade é considerada como um dos fatores de risco, uma vez que a hipótese de ter cancro da mama aumenta com o aumento da idade. A mencionar também que o cancro da mama não é exclusivo do sexo feminino. Apesar do número ser bastante reduzido, torna-se necessário ter em atenção aos sinais de alerta de cancro da mama nos homens.

Cancro da mama em mulheres jovens 

Todavia, e apesar da taxa de incidência em mulheres com idade inferior a 40 anos ser também bastante reduzida (7%). Porém, estes 7% do n.º total de mulheres diagnosticadas com cancro da mama em Portugal, que rondam entre os 6000 a 7000 casos por ano, corresponde a um número aproximado das 5 centenas. Eu fui diagnosticada com 29 anos.

E, infelizmente, este cancro em mulheres jovens pode ser mais agressivo, isto porque podemos não estar tão alertas. Assim como a situação ser desvalorizada, o que conduz a que o cancro seja diagnosticado já num estádio mais avançado. Mas também porque alguns dos subtipos mais agressivos, nomeadamente cancro da mama triplo negativo, é mais frequente nas mulheres mais jovens.

Fertilidade e cancro

A questão da fertilidade foi um dos pontos mais marcantes neste acontecimento. Pelo meu desconhecimento, quando soube do cancro nem sequer me passou pela cabeça a palavra infertilidade.

Isto é, quem realiza tratamentos contra o cancro poder ver a sua fertilidade comprometida. Contudo, é de ressalvar que, atualmente, existe a preocupação médica neste sentido, existindo medidas de preservação da fertilidade em doentes oncológicos. No meu caso, foi-me possível criopreservar ovócitos.

Menopausa aos 30?

Ou mesmo lidar com a menopausa em idade jovem e suas consequências na sexualidade são assuntos bastante pesados. E que penso que devem ser partilhados, de modo a serem pensados e discutidos, no sentido de conseguirmos alcançar melhores condições.

Superar o cancro 

Todavia, há cada vez mais conhecimentos e informações que nos ajudam a lidar e vencer esta luta contra o cancro da mama.

Artigo: Dicas antes e durante a quimioterapia

Cancro da mama sintomas

Como é muitas vezes divulgado apalpar o peito é de extrema importância.  No sentido de verificar o aparecimento de nódulo ou caroço na zona da mama, mas também da axila. Este auto-exame deve ser realizado durante o banho, mas também na posição deitada (no meu caso, só conseguia identificá-lo nesta posição). 

Todavia, existem outros sintomas de cancro da mama a ter em atenção. Dentro dos quais:

  • Alteração na mama (tamanho, forma);
  • Inchaço na mama, vermelhidão na pele, ou quente que provova coceira;
  • Saída ou secreção de líquido pelo mamilo;
  • Ferida na mama que não cicatriza e tem mau odor;
  • Alterações ou retração do mamilo;
  • Aparecimento de veias e sua forte visibilidade; 
  • Dor na mama

Cancro da mama dói?

Eu tive dores na mama. Pareciam umas fisgadas. Não era uma dor constante; mas algo frequente. Mas esta situação só por si não indica cancro da mama. 

Eu nem estava de todo preocupada, pois os casos que conhecia de cancro da mama não tinham tido dor. E não associava este sintoma a doença oncológica. E como mencionei num outro post, não sentia qualquer caroço, apenas uma rigidez do lado esquerdo da mama. 

Artigo: Como descobri que tinha cancro da mama?

Caso sinta alguns dos sintomas de cancro da mama atrás descritos, que não desaparecem, é conveniente consultar o seu médico. Soube de alguns casos que realizaram exames e que não era nada associado a cancro da mama. Enquanto que outros, uma vez que foram diagnosticados num estadio inicial não necessitaram dos tratamentos mais agressivos como quimioterapia. 

Classificação cancro da mama

Durante o tratamento ouvi várias vezes “cada caso é um caso” e é absolutamente verdade. Por tal, cada tumor é analisado pormenorizadamente, de modo a cada pessoa ter o tratamento mais adequado

Assim, existem diferentes sistemas para compreender o cancro da mama.  

Sinceramente, para mim foi importante aos poucos ir entendendo qual é era o meu caso (mesmo quando a informação não era a mais positiva). Tal permitia-me descobrir um pouco mais sobre o cancro e com isso arranjar mais armas para o vencer.

Recetores hormonais e HER2

Quando ouvi triplo negativo fiquei neutra. Todavia, mais tarde, as pessoas quando me questionaram sobre o tipo, ouvi frases como “sabes que esse é o mais agressivo, não sabes?”. Não, não sabia. Muito obrigada! E agora vou tentar não ir para a internet pesquisar estupidamente, pois o Sr. Google vai dizer coisas que não quero saber…

(Mas ainda há pouco disse que era melhor saber?)

Sim, porque quando inicialmente se julgava triplo negativo, não interpelei a médica sobre o que tal significava. O que fiz mal….

Só mais tarde é que uma amiga explicou-me que o triplo negativo é o único que não tem uma terapia direcionada, sendo a quimioterapia um tratamento essencial. 

Já os restantes tipos, isto é, os que são positivos a recetores hormonais (estrogénio ou progesterona) ou positivos à proteina HER2, além da quimioterapia tem uma terapia direcionada

Cancro da mama estadio 3

Contudo, li algures que quando se sente um nódulo ou caroço o cancro da mama poderá já se encontrar no estadio III.

“Com base nos exames efectuados, o estadiamento do cancro da mama pode ser classificado da seguinte forma:

Estadio 0 – o cancro é não invasivo, chamando-se in situ, por estar no seu sítio, ou seja, circunscrito a uma localização muito inicial;

Estadio I – o cancro tem uma dimensão inferior a 2 cm e há por vezes evidência microscópica de células tumorais nos gânglios da axila do mesmo lado;

Estadio II – o cancro da mama tem uma dimensão superior a 2 cm mas mantém-se apenas evidência microscópica de células tumorais nos gânglios da axila do mesmo lado;

Estadio III – o cancro da mama tem uma dimensão superior a 5 cm e há evidência de doença nos gânglios da axila do mesmo lado de maiores dimensões;

Estadio IV – as células do cancro da mama espalharam-se para outros órgãos, chamando-se a este fenómeno metástases.”

Fonte: Saúde CUF

Cancro da mama grau 3

Ao realizar-se a biópsia em que é identificado se o nódulo é benigno ou maligno. Caso seja maligno é também possível classificar o seu grau variando de 1 a 3. Em que:

“O cancro da mama é classificado consoante a semelhança que as células tumorais apresentam com as células normais. Esta semelhança chama-se grau. O anatomopatologista atribui um grau de 1 a 3.

O grau 1 é atribuído quando as células do tumor se parecem o mais possível com as células normais.

O grau 3 é atribuído quando as células do tumor são menos semelhantes às células normais.

O grau do tumor pode ajudar a determinar o quanto um cancro é agressivo. Em geral, um tumor de grau mais baixo tem menor probabilidade de disseminação.”

Fonte: Linhas de Orientação para doentes com cancro da mama – NCCN 

Compreender o cancro

Assim, a meu ver, à medida que ouvimos informação que não compreendemos, devemos questionar sobre o que tal implica. E, até, em diferentes contextos, isto porque, há diferentes pessoas e por vezes o modo como nos explicam condiciona o nosso conhecimento. 

Mas também, porque tudo o que for relacionado com o cancro será um assunto pesado, dificil de digerir, então, é preciso ir processando esta informação aos poucos

Posted in cancro da mama

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.