Menu Fechar

Dores após cirurgia à mama com esvaziamento axilar

Antes de ser operada queria saber como seriam as dores após a cirurgia da mama, e todas as pessoas indicaram-me que seria algo aceitável na mama, o que não acontece quando ocorre o esvaziamento axilar. E concordo.

Esvaziamento axilar sequelas

Há algumas complicações como limitação do ombro; seroma (acumulação liquido); dormência; infeção; diminuição de sensibilidade; linfedema (inchaço) e síndrome de cordão ou chamada também de síndrome de rede axilar (axilary web syndrome).

Inicialmente comecei por acumular líquido na axila, tendo sido necessário aspirar com uma agulha (praticamente sem dor) por duas vezes.

No panfleto entregue pelo Hospital é indicado a diminuição da sensibilidade, mas de facto pode também ocorrer o contrário, o que me aconteceu. Na parte interna, nos primeiros dias, tinha uma sensação como se tivesse sofrido uma queimadura ligeira nesta área. Nos dias seguintes fui sentindo um desconforto caso tocasse.

O que se pode fazer para atenuar as dores no braço?

Esta era uma área extremamente sensível, por isso, em casa optava por andar com roupa larga, que não tocasse nesta zona.

Curiosamente, tomar banho ajudava-me bastante a atenuar esta dor nas horas seguintes. Porém, ter cuidado, principalmente no braço operado, a água não estar muito quente.

Artigo: Esvaziamento axilar – cuidados permanentes

Esvaziamento axillar exercícios

Não posso deixar de mencionar que acredito que a prática de exercícios de recuperação teve um impacto muito positivo na atenuação das dores. 

Ao início a realização destes movimentos é bastante complicada. Porém, com a continuação fui sentindo uma maior facilidade na realização dos mesmos. E, consecutivamente, melhoras significativas nas dores e na mobilidade do braço. 

Artigo: Exercícios de reabilitação – esvaziamento axilar

Quanto tempo se tem dores após esvaziamento axilar?

Esta é uma questão que depende de vários fatores, dentro dos quais a idade. Uma amiga fisioterapeuta indicou-me que pessoas mais velhas podem ter outras complicações que associadas ao esvaziamento axilar conduzem a uma recuperação mais demorada.

Porém, no meu caso, entre a segunda/ terceira semana após a cirurgia a dor no braço tornou-se controlável, tendo depois desaparecido na maior parte do tempo.

Mas a síndrome de cordão foi a dificuldade que se manteve por mais tempo. De facto, ao realizar qualquer movimento, a sensação era a que tinha um cordão que puxava, que inicia na zona da axila e estende-se pelo braço. Porém, esta dor foi também desaparecendo após 4/5 semanas.

Contudo, devo admitir que de vez em quando (principalmente se fiz algum esforço ou tarefas repetitivas) as dores na parte interna do braço regressam. Na última ecografia ao coração, feita 7 semanas após esta operação cirúrgica, tive que deitar-me para o lado esquerdo e colocar o braço atrás da cabeça, e por tal voltei a sentir desconforto, e dores durante esse dia, tendo depois atenuado aos poucos.

Cirurgia Conservadora da Mama recuperação

As dores na mama, em relação às do esvaziamento axilar eram bastante inferiores. Ao início, a mama estava com muitas nódoas negras, tendo depois passado a nódoas amarelas (cerca de 1/2 semanas). Para evitar a dor, após realizar massagem (e aqui é que as dores eram mais sentidas) colocava uma gaze para o soutien pós-cirúrgico não tocar nesta área.

Passadas cerca de 6/7 semanas as dores na mama praticamente desapareceram, mesmo realizando massagem terapêutica.

O que já não aconteceu na cicatriz do esvaziamento axilar. Isto porque, até à última massagem terapêutica (a partir da radioterapia para-se com esta massagem), esta zona ainda estava dura. Se bem que as dores foram diminuindo com o tempo.

Posted in cirurgia, esvaziamento axilar, recuperação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.