Menu Fechar

como passar tempo [de qualidade] em casa

Então, durante a quimioterapia, e porque antecipava-se que ia ficar com as defesas muito baixas, foram-me recomendadas algumas medidas, tendo sido uma delas evitar contacto com público, isto é, passar o maior do tempo em casa.

Estar em casa

Em primeiro, antes de continuar com este artigo eu menciono que gosto muito de estar em casa. 

Mas reconheço que estar em 4 paredes pode-nos fazer bastante mal.

Isto porque, se não tivermos atividades, que nos sejam agradáveis ou proveitosas, há uma tendencia para pensar [demasiado e negativamente] na nossa situação.

E claro está, não é de todo o recomendado. 

Então, é mesmo essencial desfrutarmos deste tempo. E isso só é possível se fizermos coisas que gostemos

isolamento social

Algo que me perguntam bastante sobre este assunto é como é que eu lidei com o isolamento. 

Eu não me senti isolada. Sozinha, sim. Mas não isolada

Sozinha porque se está a viver uma situação tão pesada, que nem sempre conseguimos passar para palavras

Mas não isolada. 

Se não podemos estar com as pessoas que gostamos, com a frequência que queríamos, há que tentar dar a volta…envio de mensagens, conversas telefônicas, whatsapp

Quanto a este assunto há muito que quero falar, que farei um artigo especifico, uma vez que existem relacionamentos que fortificam-se; outros que se esmorecem…

Mas algo que considero é que muitas vezes as pessoas afastam-se durante o cancro, pois não sabem o que dizer; ou que não nos querem incomodar. Assim, é importante existir uma comunicação aberta com as nossas pessoas. 

Estar com pessoas doentes?

Na minha rede várias pessoas tinham passado por situações de cancro na família e então sempre que sentiam-se constipadas falavam comigo para desmarcamos algum encontro.

Mas nem sempre há esta ideia e apesar de não gostarmos de indicar esta situação, é importante informarmos da nossa condição.  

Assim, antes de estar com uma pessoa aborde o facto de estar com as defesas em baixo e que necessita de ir para um sítio com poucas pessoas; e que não estejam doentes. 

fruto proibido é sempre o mais apetecido

Não é bem assim. Mas claro que quando temos que estar em casa é quando damos mais valor na liberdade em puder sair sem qualquer preocupação.

Mas aqui o nosso pensamento é essencial. Em primeiro, há que entender o porque da necessidade de estarmos em casa. Que no meu caso era o facto de ter as defesas tão em baixo que uma “simples” gripe poderia traduzir-se numa situação bastante mais complicada.

E dado o meu corpo já estar a suportar tanto, mentalmente tentava entender que as minhas ações e decisões deveriam ser de acordo a ajudar o meu corpo e o que ele estava a passar

o que fazer para passar o tempo

Tenho ideia que por vezes não gostamos de estar em casa, pois não temos tempo para ter hobbies.

Isto é, temos anos e anos de uma dinâmica de trabalho/ casa, que depois só associamos à casa tarefas domésticas ou então um espaço para descansar e raramente para desfrutar

Pré-conceitos

A meu ver, há muitos pré-conceitos sobre este tema, que abordarei de seguida. 

estar em casa = tarefas domésticas?

Admito que durante a quimioterapia continuei a fazer as tarefas domésticas, pois traziam-me alguma normalidade.  [Já depois da cirurgia e durante algum tempo na radioterapia, nem pensar]. 

Mas estas foram completamente alteradas neste período. Isto é, fui fazendo o que me sentia bem em fazer e do modo que queria fazer. 

Porém, ao falar com algumas mulheres reparo que há uma associação entre estar em casa e ter que desempenhar tarefas domésticas. O que nem sempre é até possível devido ao cansaço.

Assim, temos que entender, bem como os que nos são mais próximos de que estamos em casa porque estamos doentesnão para limpar a casa ou organizar a vida de toda a nossa família (“ah, já que estás em casa não te importas de ir aos correios?! ou “não queres ir fazer as compras para mim?” ou mesmo “estás com a casa limpinha, não queres ir limpar a minha?”). 

E nem sempre é por mal. Há um desconhecimento. E dado o período de tratamentos oncológicos ser tão extenso e, felizmente, por vezes, até estarmos com “bom aspecto”, há uma outra situação que nos vai acontecer bastante caricata (A mim foi pedirem para ir para a fila das finanças por uma pessoa…). 

Isto é, não tenho nada contra desempenharmos as tarefas que quisermos, desde que com os devidos cuidados (muito pó utilização de máscara; produtos químicos utilização também de luvas…) e do modo que quisermos.

Até porque, em determinados dias o cancro leva-nos a melhor…queríamos fazer isto e aquilo, mas o nosso corpo só quer descanso e é isso que temos que lhe dar [daí a estarmos em casa…]. 

estar em casa = estar sempre bem? 

E não há mal por não estarmos tão bem, ou seja, não quero passar a ideia que estar em casa com cancro é espetacular. Claro que não.

Apenas quero dar ideias para quando estivermos com alguma energia fazermos algo que gostemos e gozar este nosso tempo de vida

E não nos sentirmos mal por isso. 

estar em casa = culpabilidade? 

Eu, inconscientemente senti isto. Mas só ao falar com várias pessoas a passar pelo mesmo, mas também com amigas que estão a passar pela maternidade em que senti como a mulher, por vezes, tem a ideia de culpabilidade por estar em casa sem fazer nada.

A verdade é que estamos em casa estamos sempre a fazer algo, quanto não seja se estivermos a descansar é porque o nosso corpo está a pedir isso mesmo

E como sabemos, as tarefas de casa são intermináveis. Se fizemos ontem uma máquina de roupa, amanhã ou nos próximos dias já teremos uma outra ou mesmo várias para fazer. Se aspiramos, daqui a uns dias já parece ser necessário aspirar novamente…e podia continuar por aqui fora para dizer que há sempre que fazer quando se está em casa

Mas se estivéssemos a trabalhar como seria? Como foi feito até agora? Como será depois?

Assim, acho bastante importante aproveitarmos o tempo que estamos em casa com atividades que sempre desejamos ter feito e que andávamos sempre a adiar.

Ou simplesmente levar a vida que sempre quisemos experimentar (quer ler todo o dia? a sua hora de acordar ser às 11h ou ao meio dia?).

Pense em si!

estar em casa = estilo de vida saudável?

Eu acredito que estar em casa pode ajudar-nos a ter uma vida mais saudável. Porquê? Porque supostamente em casa teremos mais tempo.

Necessidade de planear o nosso tempo 

Antes de avançar digo supostamente termos mais tempo, pois este passa a voar.

E se não planearmos o nosso dia, a nossa semana; rapidamente passou imenso tempo e temos a sensação de que nada fizemos. 

Sendo este sentimento péssimo. Daí a não se gostar de estar em casa. 

Assim, escreva num caderno o que gostava de fazer. E de seguida, vá planeando essas atividades na sua rotina

Mas quanto ao estilo de vida, abaixo indico cada ponto. 

  • alimentação 

Em casa temos a possibilidade de ter uma alimentação mais equilibrada e variada

Neste período encontrei ingredientes diferentes e receitas que gostei mesmo.

E que agora passaram a ser do meu quotidiano (cuscus; aveia; produtos biológicos; sementes; entre muitas outras). 

# cancro e alimentação  

  • descanso

O descanso em qualquer altura da nossa vida é essencial.

Mas ao lidar com um cancro as dificuldades para ter uma noite de sono reparador serão algumas. 

Cancro da mama e 4h da manhã?

Está a passar por cancro da mama e acorda às 4h da manhã? É “normal”.

A autora Christiane Northrup, que recomendo os seus livros, aborda esta questão até para situações de menopausa. Não há uma explicação cientifica, mas que é algo que acontece com alguma frequência, é. 

O que retive das várias leituras, e que concordo, é que temos 2 formas de lidar com estes episódios

  1. acordamos de madrugada e ficamos chateadas por esta situação e tentamos adormecer, mas sabemos que só vamos andar às voltas na cama;
  2. aceitarmos o facto de termos acordado, e vamos fazer o que nos apetecer até ter novamente sono; pode ser ver series; ler; escrever [eu escrevi muitos artigos neste período]…

Quanto ao descanso, é importante durante o dia irmos recarregando as energias. Eu não consegui estabelecer uma rotina de descanso.

Mas tentava estar muito atenta ao meu corpo e sempre que sentisse mais cansaço, procurava algum descanso, mesmo que não conseguisse adormecer.

  • exercício físico

Mas, ao mesmo tempo, quando me sentia bem procurava fazer atividades físicas e coisas para por o sangue a circular. 

Como a autora anteriormente referida indica, a vida sedentária pode até ser combatida por coisas simples como levantarmo-nos do sofá ou da cadeira algumas vezes por hora.

Mas, existe outras atividades, tais como: culinária; passeio pela casa; ouvir música e dançar ao nosso ritmo; fazer alongamentos; ter uma prática física suave (yoga, pilates…)

  • hidratação

Não nos podemos esquecer da hidratação contínua. 

E se não gosta de água simples, pode aprender bebidas que goste (água com citrinos; água com especiarias, mas fervendo a água; chás…)

Ideias atividades em casa

Em primeiro, há que ter presente a ideia que hoje em dia há imensas ferramentas fantásticas para passar o tempo.

Mas como falei anteriormente, na minha opinião, o mais importante é fazermos mesmo o que gostamos ou o que sempre quisemos experimentar. E, mais do que tudo, aceitarmos isso. 

  • Gosta de cozinhar?

Blogs de culinária, existindo blogs de receitas saudáveis; e porque não experimentar uma ou outra receita vegetariana? Ou uma receita de uma outra cultura?

# blogs de receitas saudaveis que gosto muito

[Mas temos que fazer compras…]

  • E experimentar fazer compras online

Existe o continente online, eu já conhecia e fazia compras no continente online, mas neste período foi-me essencial. Existindo também o jumbo online ou o El Corte Inglês…

E na minha opinião, o mercado online será cada vez maior. 

  • Quer organizar alguma divisão em casa

Esteja preparada a passar muito tempo no Pinterest.

Ou gosta de decoração? Eu surpreendi-me com decorações que podia fazer com coisas que até deitava no lixo

Quanto a este ponto, e porque novamente podemos ser aconselhados a estar em casa pela baixa de defesa, é de todo conveniente a utilização de máscara e luvas

Eu adoro jardinagem, mas foi-me expressamente proibido fazer jardinagem, devido aos microorganismos presentes na terra.  

  • Adora viajar

Estava em casa e sabia de alguns destinos que queria ir depois do cancro e, felizmente, consegui ir a dois, Açores e Londres.

Mas ter tido este tempo todo para organizar as viagens permitiu-me ir mais cedo do que eu previa. 

Isto porque, consegui fazer algumas poupanças, nomeadamente a melhor altura para ir; algumas aplicações (como a revolut, que me permitiu não ter despesas desnecessárias)…

# Viagem a Ponta Delgada – poupanças 

  • Aprender algo de novo?

Apesar da memória não ser um efeito da quimioterapia muito abordado, é sentido por todas as pessoas com que falo. E, como isso mexeu comigo. 

Assim, não investi o meu tempo em aprender competências técnicas ou profissionais porque parecia que ia “perder tempo”.

Mas, no dia a dia fui aprendendo várias coisas novas e de facto muitas delas ficaram. Exemplo disso foi o inglês. Eu não era praticamente boa a inglês. Mas neste tempo fui lendo muita coisa nesta língua e vendo muito vídeos [muitos relacionados como criar um site].

Até que um dia comecei a aperceber-me de como a língua inglesa se tinha tornado até algo fácil para mim, coisa que não considerava muito possível. 

E, curiosamente agora, ao formular um pensamento, por vezes penso muito mais em inglês e só depois é que traduzo para português. 

E porque é que eu acho que isso aconteceu? Porque eu fui aprendendo com coisas (artigos e videos) que queria muito perceber e entender. 

Mas quanto à aprendizagem. Já sabemos que livros são lições ambulantes. Mas também hoje em dia existem vídeos no youtube espectaculares sobre todos os assuntos. Existindo também plataformas, mais formais, muito boas, como o caso do coursera; udemy…

  • fazer coisas diferentes

E ao ler algo diferente (podem ser sites; blogs; livros…) surgirão coisas diferentes na nossa mente e podemos aproveitar para explorar “outros mundos”. 

preciso mesmo de sair de casa!

Mas se sente que tem mesmo necessidade de sair de casa, mas encontra-se numa situação em que foi recomendado um isolamento social, tem sempre a hipotese de dar um passeio de carro

Fazia estas viagens muitas vezes sozinha, outras vezes acompanhada.

Eu tenho a sorte de viver a cerca de 20 minutos da praia, sendo sempre um passeio de carro bastante prazeroso

Porém, um passeio de carro pela cidade, exemplo Porto, é algo que gosto bastante. Ou outras localidades próximas. 

Por exemplo, eu era de Matosinhos e sempre gostei de Vila Nova de Gaia e de Maia. Mas a maior parte da minha rede,  que é de Matosinhos, conhece pouco ou mal Vila Nova de Gaia. Bem como, Ermesinde ou Vila do Conde. 

preciso de estar em isolamento social?

Ao falar com algumas pessoas até devido aos meus cuidados na alimentação, algumas pessoas mencionavam que o seu oncologista não tinha colocado tantas restrições e conheciam até outros casos de cancro, que não tinham tomado tantas precauções.

Deste modo, antes de tudo, cada situação é uma situação.

Eu fui algo rigorosa, pois a minha médica oncologista informou-me que, certamente, ia ficar com defesas em mínimos algo preocupantes, o que veio a acontecer. 

Assim, tentei fazer algo para tentar que nenhuma sessão de quimioterapia tivesse que ser adiada devido a algum problema de infeção.

Neste sentido, procure conhecer a sua situação junto com o seu oncologista. E caso tenha que tomar medidas preventivas, espero que esteja artigo lhe traga alento e força para esse período

conclusão | isolamento social

  • se por alguma razão foi-lhe recomendado um isolamento social, esse período, não sendo o ideal, existe, a meu ver, formas de o tornar algo mais suportavel
  • assim, neste artigo falo sobre situações que fui fazendo e que gostei muito
  • e claro que não podia terminar sem fazer referência a plataformas com series e filmes online, que são de muito boa qualidade, de modo gratuito ou a um preço acessível
Posted in cancro, cancro da mama, condições, Quimioterapia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.