Menu Fechar

O que é mastectomia?

Cada caso é um caso, e por isso há exceções mas, geralmente, quando um tumor é grande (superior a 3cm) o risco de recidiva (o tumor voltar a aparecer) é considerável. Sendo este o principal motivo pelo qual realizam-se masectomias (retirar a a mama).

Em algumas situações (como a minha) pode optar-se por iniciar o tratamento com quimioterapia neoadjuvante, e verificar a resposta do tumor. Se diminuiu, pode ponderar-se na Cirurgia Conservadora da Mama. Todavia, se o tumor continuou a crescer ou não diminuiu como seria expetável a cirurgia proposta pode ser a Masectomia total.

1. O que é a Mastectomia Total?

A Mastectomia Total (MT) é uma operação destinada a tirar toda a glândula mamária. Por princípio, inclui a remoção de uma boa parte da pele que cobre a mama e também do mamilo e da aréola (pele escura em volta do mamilo).

A MT pode ser associada à remoção dos gânglios da axila e, nesse caso, chama-se MASTECTOMIA RADICAL MODIFICADA.

Há algumas variantes da MT.

Uma delas é a MASTECTOMIA TOTAL POUPADORA DE PELE. Nesta operação retira-se toda a glândula mamária mas poupa-se a pele que recobre a mama. Por vezes também é possível conservar o mamilo. Esta operação faz-se nos casos em que é possível fazer reconstrução mamária na mesma operação em que se tira a mama.

2. Para que serve esta operação (MT)?

Esta operação serve, em geral, para tratar um tumor maligno da mama.

Também pode ser realizada quando há um risco elevado de vir a desenvolver Cancro da Mama, se a mulher o desejar. [Designada por masectomia preventiva].

3. Como se faz a MT?

A incisão é feita de modo a retirar a pele que está por cima da zona do tumor e o mamilo e a aréola. Depois retira-se toda a glândula mamária, entre a clavícula e o sulco inferior da mama e entre o esterno (osso do peito) e a axila.

A incisão transforma-se numa cicatriz em linha recta, com cerca de 15 cm de extensão.

Nesta operação, por regra, são colocados um ou dois drenos aspirativos. Os drenos ficam ligados a frascos. Os drenos só são removidos 3 a 5 dias depois, dependendo da drenagem.

Na maior parte dos casos, as senhoras poderão ter alta do hospital com os drenos no lugar. Uns dias depois virão ao Centro de Mama do Hospital de S. João para tirar os drenos.

4. Esta operação (Mastectomia Total) pode afectar a minha vida?

A Mastectomia Total simples (ou seja, sem esvaziamento axilar) é uma operação com reduzido impacto na saúde geral da pessoa que a faz.

Se a MT for associada a Esvaziamento Axilar poderá ter um impacto significativo na vida da pessoa, com alguma dificuldade nos movimentos do braço, assim como podem surgir formigueiros do lado de dentro do braço, junto da axila. Estes problemas, habitualmente, são passageiros, com os devidos cuidados e fisioterapia. A maior parte das limitações está associada ao Esvaziamento Axilar (ver folheto informativo).

Apesar destes problemas, a doente mastectomizada NÃO FICA PROIBIDA de mexer o braço do lado operado, nem de conduzir, nem de trabalhar, nem de fazer ginástica, nem de ir à praia ou à piscina. Pelo contrário, deve ser estimulada a continuar a fazer tudo o que fazia antes da operação.

Além disso, hoje em dia existem muitos produtos e roupa adequados a mastectomizadas, para que possam fazer a sua vida de forma normal.

Informe-se junto das Sras. Enfermeiras do Centro de Mama.

Para terminar: em princípio, é possível fazer uma reconstrução mamária em qualquer altura da sua vida depois da mastectomia. Pergunte ao seu Médico.

5. Quais as complicações mais frequentemente associadas a esta operação?

a. Seroma (acumulação de líquido na área); pode obrigar a várias punções para remover o líquido
b. Infecção na área
c. Hematoma; pode obrigar a uma operação urgente para limpar os coágulos de sangue”

Fonte: Folheto Informativo Masectomia Total Hospital São João

Cirurgia Oncolplástica

Cada vez mais realiza-se a cirurgia plástica de reconstrução da mama em simultâneo com a masectomia. Para a reconstrução pode ser utilizado o musculo do abdómen ou das costas e/ou prótese.

Mastectomia preventiva bilateral

Este tipo de mastectomia é realizado quando constata-se uma elevada probabilidade de desenvolvimento de cancro de mama numa pessoa (exemplo: teste genético).

Geralmente é realizada uma mastectomia bilateral, pois o risco de desenvolvimento do tumor maligno é semelhante em ambos os seios.

Mastectomia parcial

Este procedimento cirúrgico é uma outra designação da cirurgia conservadora da mama.

Posted in cancro da mama, oncogenética

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.