Menu Fechar

vem aí o natal e eu sem paciência nenhuma… | dicas e sugestões

Com a chegada da época festiva quero abordar um assunto algo referido entre a comunidade de cancro: festas e doença oncológica.

Como está a pessoa com cancro?

Já recebi um ou outro e-mail de pessoas a mencionarem estarem a pensar não convidar a pessoa que está com cancro para que esta não seja obrigada a recusar.

Não.

Se quer essa pessoa presente no evento que está a organizar deve convidá-la.

Mas como qualquer convite pode obter uma resposta positiva ou negativa.

E, é importante a pessoa que está a passar por cancro sentir que a sua presença é querida mas que caso não vá, que as pessoas compreendem as razões.

Pressão dos eventos

Falo neste assunto pois conheço casos que não queriam “desiludir ninguém”. E, depois não se sentiram tão bem, por diferentes tipos de razões. 

Cancro = centro das atenções

Rapidamente o cancro torna-se o centro das atenções de um evento.

Depende de caso para caso, mas os sinais podem ser bem notórios (quimioterapia queda de cabelo; cirurgia e radioterapia desconforto na pele…).

Tal como, podermos não estar em modo de festa, como abaixo abordarei.

Mas voltando à questão do cancro ser o centro das atenções, se o anfitrião menciona que há uma pessoa com cancro, toda a gente vai querer saber quem é.

Ou então, nada é dito, mas aquelas pessoas que não nos são tão próximas, mas que há um conhecimento visual podem ficar intrigadas pela mudança de visual e rapidamente o assunto da festa será o cancro.

O que não é de todo positivo, quer para a festa, quer para nós.

Então não devo ir?

Em primeiro acho pertinente termos ideia do que estamos a viver.

E termos compaixão para connosco.

Assim, se não andamos bem, temos que pensar em nós e não ir ou adiar um evento.

Por exemplo, não conseguimos ir a uma festa de aniversário, mas num período em que nos sentimos melhor podemos fazer algo para e com essa pessoa.

Amor próprio | tomada de decisão

Se até pensamos que sair de casa, estar com aquelas pessoas e é um ambiente minimamente flexível esse contacto social pode-nos até ser muito positivo.

Porém, se virmos que não temos as condições mínimas, que não nos sentimos bem, que não nos sentimos à vontade com pessoas que vão estar presentes, não devemos ir. 

Se a pessoa ou pessoas que nos convidarem não entenderem o nosso estado devemos mesmo pensar na relação para com essa pessoa.

amor próprio

Sendo esta uma forma de aplicarmos o amor próprio. Isto é, devemos tomar decisão de ir a um local ou estar com algumas pessoas se tivermos ideia que será positivo para nós

Fonte: Unsplash

Irmos e estar sempre a pensar que não deviamos estar a comer aquilo; que está frio e estão pessoas constipadas…; ou que vão comentar a sua situação….Não vá!

E faça a atividade que mais gosta.

Mas e quando isto envolve os outros?

De facto, o cancro é mesmo pesado. E não só pelo o que nos afeta. 

Mas também pelo muito que afeta os que nos rodeiam

Todavia, nestas situações devemos ser sinceros com essas pessoas, de modo a ser-lhes possível entenderem o nosso estado (até podemos parecer bem mas não sentirmo-nos bem…). 

Adaptarmos o cancro à nossa vida

Há dias em que o cancro tomou completamente conta da nossa vida.

Dias como exames ou consultas. Em que nos sentimos quase umas marionetas nesta história toda.

Porém, há alturas que podemos e devemos adaptar o cancro à nossa vida, e não o contrário.

Momentos com filhos 

Pelas conversas tidas com algumas meninas deste blog sei que das alturas mais dificeis de lidar são momentos que envolvem os nossos filhos.

Tal como festas de aniversário ou mesmo natal. 

Isto porque, não queremos até que eles tenham noção do que é o cancro nesta data

Não pediu cancro

Mas antes de tudo, temos que entender que o cancro não foi algo que pedimos, logo temos que perder a dureza que, por vezes, colocamos sobre os nossos ombros

Depois, podemos tentar visualizar as situações e entender como adaptar as mesmas, abaixo indico algumas dicas relacionadas com o Natal: 

  • Tem mesmo que abrir as prendas à meia noite?
  • Ou tem mesmo que fazer o jantar em sua casa?
  • Se tem alguma restrição alimentar fale com a pessoa que organiza o evento; 
  • E para não andar na azáfama de shoppings para comprar prendas porque é que não combina que este ano presentes é só para as crianças?
  • Ou porque não se aventura nas compras online (Como comprar no Continente Online)

Cancro e festas

E abordo este assunto pois denoto o peso que muitas mulheres acarretam. Num momento, em que devemos procurar leveza na nossa vida. 

Assim, se nem está no clima de festas, qual o problema?

De facto, o primeiro natal que passei após este acontecimento foi poucos dias após o fim da radioterapia.

Então, se era um momento que deveria estar contente pelo término dos tratamentos oncológicos. Foi para mim, um dos momentos mais stressantes pois não sabia com o que podia contar.

Porém, o natal fez-me super bem pois o assunto cancro não foi abordado e todas as conversas tidas alegraram-me e fizeram-me bem.

Mas assumo que a festa não se estendeu como de costume.

Assim, quando comecei a ficar cansada senti-me na obrigação de sair da festa. 

Mas natal é só uma vez ao ano

Um dos aspectos que ainda não é devidamente considerado é o prolongamento dos tratamentos oncológicos. Bem como a intensidade dos efeitos secundários.

Fiz 8 sessões de quimioterapia, o que correspondeu a cerca de 6 meses.

Assim, quando mencionei que ainda não estava bem,  eram poucas as pessoas que sabiam que ainda estava neste tratamento.

Isto é, de um modo geral, as pessoas não sabem a duração dos tratamentos e se não lhe dissermos não vão advinhar.

Tratamentos oncológicos quanto tempo?

Deste modo, a maior parte das situações de cancro da mama que envolvem os tratamentos mais comuns, sendo estes: cirurgia, quimioterapia e radioterapia, estes podem decorrer cerca de um ano

O que envolve natal, mas também ano novo, páscoa, férias grandes, feriados, casamentos, baptizados, festas de aniversário… Festas que queremos fazer aos nossos…

Assim, espero que ao ler este artigo esteja mesmo a considerar que nesta epoca natalícia tem uma tarefa…cuidar de si!

Falar ou não falar sobre o elefante na sala? 

Especialmente em eventos numerosos é de evitar a abordagem do assunto cancro.

Ou, pelo menos, que este se torne o assunto central.

Se sim, opte por ambiente mais reservado

Assim, se quer perguntar algo à pessoa com cancro ou foi-lhe colocada qualquer questão peça para que essa conversa seja feita de modo mais reservado.

E porquê?

Porque em grandes grupos existem aquelas pessoas que querem saber todos os pormenores sobre o cancro.

Mas também existem aquelas pessoas no qual essa palavra provoca-lhes muito desconforto.

E há que respeitar ambas.

Deste modo, ao falar em modo mais privado com a pessoa que quer saber mais detalhes sobre a sua história, permite também que as pessoas que não querem saber ou lhes custa saber, de terem um mau momento. 

E já comprou a sua prenda?

Se por um outro lado está com bastante tempo, porque é que não aproveita para comprar algo que precisa?

Há quanto tempo não compra um bom hidratante? Ou um pijama ou casaco super quentinho, dado passar algum tempo em casa?

Sugestões de prendas

Pense na sua situação e partilhe-a com os que gostam de si

Todavia, se procura sugestões para prendas para familiares, amigos secretos ou outras situações, abaixo partilho presentes que considero interessantes para qualquer situação.

* Agenda Celeiro 2020

Mente Sã em Corpo Celeiro

Esta agenda pode ser adquirida em lojas físicas (em algumas lojas estão esgotadas, mas pode reservar) ou na loja online.

Gostei bastante desta agenda pois ao longo do caderno são partilhadas dicas relacionadas com alimentação saudavel e outros temas relacionados.

Além de que, está com um preço bastante simpático, nomeadamente três euros

Em que 50% reverte para a Operação Nariz Vermelho. Instituição esta que gosto muito e que considero realizar um trabalho extraordinário.

* Compra solidária

Conhece a plataforma compra solidária? Como o nome indica é uma plataforma em que divulga os produtos vendidos, em que parte parcial ou integral reverte para determinadas associações. Existindo esta indicação.

Sendo esta plataforma bastante interessante até para prendas de grupo (exemplo: lembrança de algum evento; festa de empresa…)

Por exemplo, adoro os crachás da coleção “o amor está nas patas“, em que: crachá 3,7 cm – 1€ por unidade; íman 3,7 cm – 1,25€ por unidade; íman 5,9 cm – 1,50€ por unidade…O custo de envio é de 0,70€, podendo ser diferente consoante a quantidade. 

* Cartões Dá

Algo muito prático, e muito interessante é a compra de cartões dá. Em que o cartão não acarreta custos e que pode carregar com o valor que pretende.

Geralmente, pode comprar este tipo de cartão em qualquer balcão de apoio clientes Continente Modelo

Mesmo que este hipermercado não seja o seu favorito, há sempre produtos interessantes, principalmente nas promoções semanais.

Podendo utilizar noutras lojas do grupo, tais como Worten ou Well’s (compra do creme cicalfate ou biafine). 

Receber um presente pode saber bem. Mas julgo tão ou mais importante sentirmos apoio das pessoas nas alturas que mais necessitamos, assim invista na suas relações. 

# Como ajudar pessoas com cancro?

conclusão | cancro e festas

  • os tratamentos oncológicos podem tomar vários meses, assim é importante entendermos como vamos lidar com cada situação;
  • assim, se conseguir ter momentos com pessoas que gosta, ótimo, aposte em cada momento;
  • mas caso não reúna as condições mínimas sinta a necessidade de ser sincera para consigo e para os que a rodeiam;
  • e como tudo na vida, há a possibilidade de criar alternativas;
  • mais do que tudo, pense em si e nos seus e tenha bons momentos. 
Posted in cancro, cancro da mama, dia a dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.